Viajei para Buenos Aires pela primeira (e única) vez em agosto do ano passado. Passei 5 dias na cidade antes de viajar para Ushuaia – que vai ganhar um ou mais posts depois – e fui com meu namorado e mais quatro amigos. Dois deles ficaram junto com a gente, em um apartamento em Palermo. Prossigo a contar para vocês sobre toda a nossa experiência nesse bairo mara!

palermo_BUE
Esquina da Plaza Armenia

A primeira coisa que quero falar é do Airbnb, vocês conhecem esse site? É simplesmente o melhor site de estadia para viagens, na minha opinião. Quando você viaja assim, com mais pessoas, é difícil encontrar um hotel legal em que todo mundo possa ficar junto. Com nosso espírito jovem e disposição para cozinhar, decidimos alugar um apartamento. Por intermédio do site, você pode alugar um quarto na casa de alguém, ou um apartamento/casa inteira. Eu já tinha usado o serviço deles antes, quando fiz intercâmbio, e foi muito bom! E agora, em Buenos Aires, foi melhor ainda. Os donos do apartamento moram pertinho de onde ficamos, de forma que qualquer probleminha que tivéssemos era rapidamente resolvido. Sem contar que eles são uns fofos e deixaram mil folhetinhos e dicas sobre o bairro pra gente. Dá pra ver que eles realmente curtem morar em Palermo.

A localização do apartamento é excelente, com dois mercados a menos de 3 quadras, onde compramos nossos suprimentos para a semana. Também era perto da Plaza Italia, que é onde fica a estação de metrô. Mas a coisa mais divertida que fizemos foi alugar bicicletas. Tinha duas lojas de aluguel bem perto do apartamento, alugamos cada vez em uma. O procedimento é simples: você deixa um documento de identidade (deixamos um só para as quatro bicicletas) e paga posteriormente pelo dia inteiro ou por uma determinada quantidade de horas.

bicicleta
subindo a Avenida Sarmiento
Jardim Japonês
Jardim Japonês

De bicicleta, nós fomos até o jardim botânico, que fica ao lado da Plaza Italia. De lá, já fomos para o Jardim Japonês. Subindo a Avenida Sarmiento, tem uma ciclovia ótima pra circular (essa da foto de cima). Aliás, na rua em que estávamos hospedados, também tinha uma ciclovia muito boa. Em outro dia – sim, nós estávamos empolgados e dispostos – fomos até o Museu de Arte Latinoamericano de Buenos Aires (MALBA). Era muito comum ver várias pessoas circulando por ali de bicicleta, foi bem seguro e tranquilo pra gente.

Como essa era a primeira vez que eu visitaria a Argentina como vegetariana, eu fiquei meio preocupada e até mandei e-mail pra Amanda Mormito, do blog Buenos Aires para Chicas, mas ela super me tranquilizou, porque agora tem vários restaurantes vegetarianos por lá, e quando você entra em um restaurante comum, eles dão várias opções sem carne. A primeira surpresa boa foi o Krishna, um restaurante indiano maravilhoso. O garçon era um amor de pessoa, sugeriu pratos maravilhosos pra nós, que estavávamos desorientados pra pedir haha. Aqui tem uma avaliação minha (em inglês) do restaurante.

À noite, os meninos (eu e o Pedro estávamos demasiado cansados às vezes) simplesmente iam andando em direção à Plaza Serrano e sempre encontravam bares e boates abertos e bombando. Em um determinado dia, todos nós saímos um dia para o Sheldon, que fica ao lado dessa praça, e é bem famoso. A comida de lá é uma delícia e os drinks da casa também! Realmente merece a boa reputação que tem.

El último beso
El último beso

E, pra finalizar: para um chá romântico, eu e o Pedro fomos ao “El ultimo beso”, que também ficava pertinho do nosso apartamento (como o Krishna, eu já sabia da existência dele, mas não estava procurando quando encontrei, hahaha). É uma casa transformada praticamente em uma casa de chá de bonecas. É tão surreal que eu sonhei com esse lugar à noite (foi um dos sonhos mais legais e bizarros que eu já tive). Até o banheiro tem uma banheira charmosíssima cheia de água com pétalas de rosas. E a comida é maravilhosa.

Para a minha primeira visita em Buenos Aires, eu não podia ter escolhido o bairro melhor. Você não precisa se esforçar para nada em Palermo: tá tudo ali! Encontramos as mais diversas e lindas lojas de roupas, restaurantes, bares, cafés, lojas de decoração e livrarias simplesmente “tropeçando” nelas, sem esforço algum. Definitivamente, se eu voltar a Buenos Aires, eu voltaria pra lá.

E você, onde costuma ficar? Também tem boas experiências com Palermo?

Beijos.