Quando se trata das comidas que eu gosto, principalmente doces, basta eu ver alguém comendo que logo fico com vontade. Nesse quesito eu pareço um pouco aquelas crianças que vêem alguém comendo sorvete e começam a pedir pros pais, hahaha. Nunca fui assim quando era criança, mas hoje não posso ver uma comida que gosto na televisão ou no post de um blog que logo tenho que comer também, senão o desejo não passa.

Estava assistindo “Que Horas Ela Volta?” no cinema – aliás, excelente filme, recomendo muito! – e numa determinada cena, a filha da personagem principal (Val, interpretada pela Regina Casé) vai visitá-la em São Paulo e traz uma cocada pra ela de presente de uma amiga. Vocês não tão entendendo, a cocada nem aparece direito e eu fiquei louca de vontade, fazia anos que eu não comia uma!

Procurei receita na internet e achei um monte diferente, cada uma dizia uma coisa. Acabei inventando a minha e inventei um jeito de ela ficar molinha sem usar leite condensado. Tá muito boa, viu? Se eu fosse vocês testava em casa.

— RECEITA —

½ xícara de açúcar – pode usar cristal
1 xícara de água
1 xícara de leite vegetal – só não usa de aveia porque engrossa muito rápido
1 coco seco maduro ralado – a polpa, óbvio. fresco é melhor do que de pacotinho

O que você faz é: deixar a água e o açúcar na panela ferverem. Esquenta o leite – usei de castanha de caju – e junta na água com açúcar, sem mexer, até dar ponto de fio (parar de pingar quando você levantar uma colher da panela). Junte o coco. Mexa até sair da panela – tipo quando faz brigadeiro pra enrolar, sabe? – e coloque numa forma untada. Eu usei óleo de coco pra untar, mas pode usar qualquer outro. Espere esfriar e corte os pedacinhos.

Aí é só aproveitar!