Uma dúvida comum que surge quando viramos veganos é: “o que vou comer em viagens?”. Em relação aos destinos, pode ficar tranquilo porque comida vegana é cada vez mais comum em qualquer lugar do mundo. Seja aqui na América Latina ou na Europa, você vai encontrar muitas opções!

E no caminho? Em aeroportos confesso que costuma ser um pouco complicado, por isso é sempre bom levar alguns lanchinhos: biscoitos, castanhas, paçoquinha, sanduíche… Mas no avião você não vai (ou não deveria) passar perrengue. Pelo menos não se a companhia for decente em relação à opção vegana. Gosto de compartilhar com vocês o que é servido para mim em viagens e muita gente me pergunta como fazer para solicitar a comida vegana nos voos.

COMO FAZER PARA PEDIR. É tudo bem simples: você precisa reservar com a empresa a opção “vegetariano estrito” em até no máximo 48h antes do seu voo. Não é no checkin, gente! Tem que ser ANTES! Já me perguntaram se você paga a mais por isso, e a resposta é NÃO! Você pode pedir vários tipos de alimentação: sem glúten, ovolactovegetariana e outras, e nunca vão te cobrar mais por isso. O meu procedimento é: assim que eu compro a passagem e recebo o código de reserva do voo, eu entro no site da companhia e verifico as opções. Em seguida já seleciono a refeição vegana e confirmo se está tudo certo. Pode ser interessante voltar a checar sua passagem uma semana antes do voo e verificar sua reserva.

Geralmente a refeição especial vem antes de todas as outras, e os comissários já trazem para o seu assento antes de começar o serviço de bordo. Isso costuma deixar as pessoas ao redor bem curiosas, hahaha. Um homem já me perguntou o motivo de a minha comida ter vindo antes. Enfim, se não vier antes, basta comunicar seu pedido na hora em que estiverem distribuindo todas as refeições e eles te entregam a sua.

Sobre as opções de diversas companhias: eu sempre tive boas experiências com a comida, exceto em um voo de volta do México: me serviram apenas frutas. Na época eu era ovolactovegetariana e o comissário me serviu um Doritos (que eu não comeria hoje porque tem queijo na composição). Eu realmente tava com fome e achei aquilo meio absurdo, porque fruta como opção vegana chega a ser engraçado. Por isso é importante comunicar às empresas o que achamos da comida e dar um feedback, especialmente se o serviço não é decente.

Depois que publiquei no instagram sobre minha última viagem, recebi várias mensagens de muita gente que viajou e teve comidas horrorosas nos voos, totalmente injustificável em 2018, porque comida vegana não deve ser apenas a exclusão da carne e do leite e não devem cometer erros de entregar comida que contém leite com essa opção. Fiquei sabendo de muita gente que recebeu apenas vegetais ruins no jantar e iogurte de vaca no café da manhã… com empresas grandes e conhecidas.

Viajei essa semana para a Itália com a LATAM e foi servido jantar e café da manhã. Achei as duas refeições gostosas e satisfatórias. No jantar teve hambúrguer de soja, alguns vegetais (abobrinha e pimentão), servidos junto ao arroz com passas (achei polêmico já que muita gente não gosta, hahaha. Mas eu curto). Também tinha um pãozinho e salada de frutas. No café da manhã teve um pãozinho com tofu e espinafre, tomate e também um pãozinho e uma salada de frutas pra acompanhar. Ano passado minhas experiências em voos internacionais com a LATAM foram igualmente satisfatórias, não tenho do que reclamar.

Pedir por essa opção é simples, tranquilo e é importante que as empresas fiquem sabemos que somos exigentes quanto à nossa comida. O veganismo é um movimento crescente e temos que nos impor nessas situações para que mais pessoas se sintam seguras com essas escolhas e as empresas respeitem nossa alimentação tanto quanto qualquer outro tipo.

Estou pensando em fazer um pequeno vídeo com um “guia de sobrevivência vegano” em aeroportos e aviões no canal, então aguardem porque deve sair em breve! 🙂