Ser mãe definitivamente não significa “parir”.

Toda mulher deveria – ou deveria poder – decidir se a tarefa de mãe é pra ela ou não. Nem todas nós têm o sonho de ter filhos, e não tem nada de errado nisso. Somos todas e cada uma influenciadas pela cultura em que estamos imersas e com certeza “ser mãe” é um papel dos mais relacionados ao papel de “ser mulher” na sociedade.

Digo então que toda mulher que decide ser mãe: dos filhos paridos, dos filhos aparecidos, dos gatos, cachorros, de todos os bichos do mundo, dos sobrinhos, dos netos – e de todos que quiser acrescentar aqui – decidiu esse papel em algum momento. Antes, durante ou depois de ter aparecido um filho.

Ser mãe é uma tarefa árdua, complicada, cheia de responsabilidades, obrigações, dores e amores. A todas as mulheres que adotaram algum filho na vida: parabéns pelo seu dia. Nenhum de nós estaria aqui se não fosse por vocês.

piano

Na foto: a minha mãe tocando piano em cima do meu piano, minha inspiração!