Punta del Este dicas blogueira

Eu e meu namorado Pedro decidimos passar alguns dias no Uruguai pra comemorar 6 anos de namoro. Pensávamos no destino há algum tempo, e queríamos explorar o país ao máximo. Como a gente não conhecia nada por lá, resolvemos fazer um roteiro que coubesse em uma semana com 3 cidades diferentes, já que as cidades são pequenas e rápidas de serem percorridas. Fomos para Punta del Este, Cabo Polonio e Montevidéu.

Descemos no aeroporto Carrasco em Montevidéu e pegamos um ônibus lá mesmo para Punta del Este logo que chegamos, dia 03 de junho. Este foi o nosso primeiro destino no Uruguai, e apesar de estar vazio e abandonado nesta época do ano, nos encantou muito!

*NOTA: todos os preços, horários e informações aqui citados são referentes a junho de 2016.

IMG_9338

ONDE FICAR

Ficamos na península, onde estão localizados vários hoteis, lojas, o porto e a maioria das atrações turísticas, inclusive a famosíssima estátua “la mano” – a mão -, que vimos assim que chegamos na rodoviária. O hotel que ficamos se chama Florinda, e tem excelente localização. Gostei bastante porque fica perto da praia, perto dos pontos turísticos e, principalmente, perto do Mercado Verde, que vi recomendado no blog Veg por Aí e fiquei doida pra ir sabendo que lá teria comida vegana.

O Hotel Florinda estava cheio, apesar de a cidade estar bastante vazia – quase fantasma, sério. Eu recomendo bastante a estadia com eles, os quartos são modernos e bem decorados e o banheiro é bem novinho e lindo – ah, e a ducha é deliciosa!. O café da manhã é decente, com pães, geleias, frutas, sucos e café para quem não consome nenhum produto de origem animal. O custo benefício foi muito bom para duas pessoas, pagamos US$50 por noite. Foi um dos mais em conta que achei. Punta del Este é uma cidade bem cara, assim como todo o Uruguai.

ONDE COMER ACHAR COMIDA VEGANA/VEGETARIANA

Eu não sabia que seria tão perto do hotel, bastava virar a esquina e lá estava o único restaurante vegano de Punta. Supreendentemente, muitos lugares possuem pratos ovolactovegetarianos – digo que foi surpreendente porque muitos amigos meus foram pessimistas e diziam que não teríamos nada pra comer, hehe – mas foi mais fácil encontrar comida com queijo, como sempre é, do que vegana. Graças ao Mercado Verde, comemos várias comidas vegana deliciosas e cheia de amor. Veja a página do facebook deles aqui.

mercado verde punta del este comida vegana

São sanduíches, dips, leites vegetais e queijos veganos, além de muitas opções de sucos, smoothies e até kefir pra beber. Além disso, têm muitos produtos crus, como os dips vegetais e alfajores raw. Postei os alfajores no snapchat no dia mas esqueci de tirar foto! Provamos e achamos uma delícia. A loja é também uma mercearia, com produtos frescos e produtos industrializados veganos e para dietas restritivas. Só achei o horário inconveniente, fecham às 18h e um dia chegamos às 17h50 pra achar a loja fechada. Pelo visto a cidade toda funciona assim no inverno…

Pra ter ideia do preço do local, deixo registrado aqui que fizemos uma grande compra (perdi a notinha mas anotei tudo que compramos) e vou colocar o valor final. Compramos 4 sanduíches (2 pra comer na hora e 2 pra depois), 1 suco verde, 1 smoothie de frutas vermelhas, 2 iogurtes de amêndoa com granola, 1 pacote de biscoitos raw salgados, 2 alfajores raw, final: $1770 pesos uruguayos (a um câmbio de R$7,50: R$236). Achei razoável, um pouquinho mais caro do que aqui em Brasília, mas considerando que a comida era toda especial, raw, etc, achei razoável. Era tudo muito gostoso e foi um total de 3 refeições para duas pessoas, com alguns lanchinhos.

SOBRE O MUSEU CASAPUEBLO

Decidimos ir ao Museu Casapueblo porque não se pode ir embora de Punta sem dar uma passadinha lá, não é mesmo? O problema é que muitos blogs de viagem fizeram parecer bem mais fácil do que seria. Você pode pegar um taxi – carésimo – ou alugar um carro – mais caro ainda, né? hahaha – ou, como nós, ir de ônibus. É só perguntar nos guichês da rodoviária como ir a Casapueblo e eles te indicam para ir a Punta Ballena, você compra uma passagem de $50 pesos (+- R$7) e vai. Ninguém falou que quando o ônibus te deixa no meio da estrada – numa curva, ok? – você tem que fazer uma caminhada de aproximadamente 20 minutos, e pode ser particularmente desagradável no frio.

casapueblo inverno passeio punta del este

O horário da visita em junho de 2016 ia até 17h, e só tínhamos um dia na cidade. Fomos às 15h30, esperando pagar $150 pesos como lemos em diversos sites. Acontece que o preço subiu bastante, a visita ao museu/café estava custando $240 pesos (30 reais ou mais dependendo da cotação do peso que você pagou). Andamos por várias salas da casa, que abrigam o acervo de coleção do artista Carlos Páez Vilaró e as áreas onde o pessoal costuma(va) tirar fotos estavam todas fechadas com portões. Resultado: achei oneroso demais, foi muita caminhada e um preço muito alto pra nem dar pra tirar fotos legais. E nem rolava de ficar pro pôr-do-sol por causa do horário. Não sei se isso é só porque é inverno ou se é porque estão mudando algumas coisas na casa – está se transformando em hotel – então verifiquem bem antes de investir na ida.

OUTROS PASSEIOS

No inverno, a cidade fica abandonada e quase toda fechada. É uma sensação engraçada, porque ela continua linda, mas vazia. É bem poético. Fiquei imaginando ela quente e badalada no verão e deu vontade de voltar pra ver.

Pegamos temperaturas bem baixas, mas nada que impedisse de explorar tudo. Um dia inteiro na cidade foi o suficiente pra conhecer toda a península. Parece grande no mapa mas é rapidinha de contornar. Sugiro que andem pela praia contornando tudo – é bem legal ver a parte do porto e também a área residencial, tem casas lindas. Visitamos a estátua “la mano” que tem diversas interpretações, mas no nosso guia feito por locais diz que a mão representa o encontro do homem com a natureza.

la mano uruguai viagem

Este mapa a que me referi está disponível na rodoviária, onde chegam os ônibus de outras cidades. Ele descreve as atrações em detalhes – mas não são muitas. Percorremos por toda a península de manhã e vimos tudo. Almoçamos e deixamos a Casapueblo pra tarde. Vocês vão ver no vlog no fim do post que eu nem filmei direito o museu. Eu fiz alguns snaps no dia, mas fiquei tão desanimada com a caminhada, o preço, os portões trancados e a caminhada de volta que nem filmei nada pro vlog. Taí a explicação pra quem se perguntar…

Adoraria voltar à cidade no verão e ficaria 1 semana pra curtir todas as baladas, lojas e praias. Mas no inverno, 1 dia só é mais que suficiente. Por fim, mas não menos importante, aqui está o vlog dessa cidade encantadora: